Podcasts de história

Civilizações pré-incas no museu de Tucume

Civilizações pré-incas no museu de Tucume


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Em 1 de novembro de 2015 CE, no jantar anual oferecido pelo British Guild of Travel Writers no Savoy Hotel em Londres, foi anunciado que o Museu de Tucume, no norte do Peru, havia ganhado o prestigioso prêmio de Melhor Projeto de Turismo do Mundo Mais Amplo. Hilary Bradt explica porque ela indicou Tucume para este prêmio.

Já se passou muito tempo - 23 anos, na verdade - desde que o etnógrafo e aventureiro norueguês Thor Heyerdahl (1914-2002 dC) ficou fascinado com o potencial de escavação de sítios das civilizações pré-incas no norte do Peru e persuadiu os Kon- Tiki Museum of Oslo para ajudar no lançamento do projeto. A escavação foi assumida pelo Ministério da Cultura do Peru durante os últimos anos do projeto e eles estão justamente orgulhosos do resultado.

Pirâmides e ruínas pré-incas

Antes da inauguração de seu novo museu em setembro de 2014 CE, Tucume era mais conhecida por suas enormes pirâmides, cerca de 26 delas, construídas antes da Civilização Inca (c. 1400-1533 CE) deixar sua marca no Peru. Eles são tão grandes e tão erodidos que parecem montanhas naturais para os não iniciados. Mas Thor Heyerdahl sabia que grandes maravilhas jaziam sob aquele arenito duro como pedra e nós, visitantes, podemos, finalmente, dar uma olhada.

A última vez que estive no norte do Peru foi em 1973 CE, no início de uma viagem de mochila de 18 meses que lançou indiretamente o Bradt Travel Guides. Nosso destino eram as ruínas incas no sul e os picos nevados da Cordilheira Branca, mas viajando por terra do Equador, paramos para dar uma olhada em Sechín a caminho de Huaraz. As representações extraordinariamente gráficas das batalhas abriram nossos olhos para a riqueza dessas culturas pouco conhecidas. Em nosso primeiro guia, escrevemos:

História de amor?

Inscreva-se para receber nosso boletim informativo semanal gratuito por e-mail!

Se você decidir passar por Casma, não perca as ruínas pré-incas de Sechín. Ele comemora uma batalha. Pelas fotos nas paredes de pedra, você não terá dificuldade em distinguir os vencedores dos perdedores.

Estudos recentes são menos seguros sobre a parte da batalha - talvez esses sejam sacrifícios humanos ou mesmo uma lição de anatomia antiga. O que está claro é que eles representam um desmembramento particularmente horrível de corpos humanos: decapitações, eviscerações e amputações. Eles são muito antigos, por volta de 1600 aC.

O museu de Tucume reconstruiu sepulturas dos períodos Chimu e Inca.

Tucume é totalmente mais suave - e mais recente. As escavações revelaram as esculturas em relevo mais impressionantes de animais marinhos estilizados e pássaros escondidos dentro de uma das pirâmides. Várias culturas diferentes se reúnem aqui, de Lambayeque e Sipan (c. 750 - c. 1375 DC) ao Chimu (séculos 12 a 15 DC) e, finalmente, o Inca.

Essa disseminação permitiu que o museu levasse os visitantes em uma jornada imaginativamente ilustrada pela história antiga do norte do Peru. Este é um museu de "ação", não apenas de "aparência", e há muitas exposições interativas, bem como alguns túmulos reconstruídos extraordinários dos períodos Chimu e Inca com seus artefatos que os acompanham. Refrescantemente, a etiqueta está em inglês e também em espanhol (uma raridade nesta parte do Peru) para que você possa passear pelo museu em seu próprio ritmo, sem um guia ou tradutor. Há tanto para ver que é fácil esquecer o panorama geral - para completar a visita, você precisa ver as pirâmides.

Huaca Larga e Huaca Las Balsas

O maior e mais impressionante deles, Huaca Larga (Pirâmide Longa), o Templo da Pedra Sagrada e Huaca Las Balsas, são encontrados no setor nordeste de Tucume. Huaca Larga, com 2.300 pés (700 m) de comprimento, é a mais longa estrutura de adobe conhecida no mundo. É distintamente marcado por pinturas tradicionais Chimu em vermelho, branco e preto de criaturas mitológicas.

Acompanhando a trilha do deserto para Huaca Larga está outro caminho que culmina em uma escada incrivelmente longa que leva até o Cerro Purgatório ('Monte do Purgatório' - você apreciará o nome depois de escalá-lo), com vista para as 26 pirâmides e seu vale . A vista é fantástica. Uma terceira trilha leva a uma adorável floresta de alfarrobeiras cheia de pássaros coloridos, burros sonolentos e gado pastando das fazendas da vizinhança. A trilha termina na Huaca Las Balsas, uma pirâmide parcialmente escavada, que é a joia da coroa do museu.

Las Balsas é famosa por seus murais esculpidos, em perfeitas condições, que enfocam temas do oceano, incluindo ondas, criaturas marinhas e pássaros marinhos. Eles podem ser explorados em passarelas de metal construídas ao redor do local. Um jardim botânico, mostrando a flora típica da zona seca e a fauna que a acompanha, completa o panorama da região como um todo. Aqui, avistamos uma coruja se escondendo examinando a cena com um olhar de olhos amarelos.

A Inauguração do Museu Tucume

Ao abrir o museu em setembro de 2014 CE, a primeira-ministra peruana Ana Jara disse:

Além de aumentar a chegada de turistas à região, este museu garante o desenvolvimento cultural, econômico e social do povo tucumeiro. É um orgulho para todos os peruanos.

Meu pequeno grupo de dez turistas foi o único visitante estrangeiro quando visitei em junho de 2015 CE. Por isso indiquei o museu para o prêmio. Visitei o Peru cerca de 30 vezes desde aquela primeira visita em 1973 CE, mas nunca fiz isso aqui. Agora, eu quero espalhar a palavra.

Chegando la

O museu está localizado na província de Lambayeque, 33 km a nordeste de Chiclayo, uma grande cidade acessível por via aérea a partir de Lima. Embora seja possível pegar ônibus locais para o museu, a maioria dos viajantes prefere fazer um tour ou um táxi para os vários locais na área, o mais notável deles é o Museu das Tumbas Reais, exibindo os artefatos encontrados em Sipan, Ventarron. Este museu é igual a Tucume em suas exibições, mas a rotulagem é toda em espanhol.


Arqueologia Mochica na costa norte

Esta viagem sob o signo da arqueologia Mochica irá satisfazer todos os amantes da história, mitos e ruínas. La Ruta Moche é o nome da estrada & # 8220 & # 8221 ao longo da costa norte do Peru e que inclui os reinos de Moche, Chimu e Lambayeque com impressionantes sítios arqueológicos, entre os mais famosos da América do Sul.

  • City Tour Trujillo & # 8220by night & # 8221
  • Visite a cerâmica e artesanato& # 8220O rosto inconcebível & # 8221, acompanhado por o grupo folk & # 8220The Cayman & # 8221
  • Visite a Sol e luatêmpora
  • Visita Chan Chan, Patrimônio Mundial pela UNESCO
  • Visita Museu El Brujo e Cao
  • Descobrir Huaca Rajada, o sítio arqueológico de Sipan
  • Visite a sítio arqueológico Ventarron
  • Visita Museu Tumbas Reales, Um dos melhores museus da América do Sul
  • Visite a Museu Nacional de Sican
  • Visite a Santuário histórico da floresta de Pomac
  • Visite a Pirâmides e Museu Tucume
  • Excelentes restaurantes peruanos

Templo Mochica de 4.000 anos e tumbas desenterradas no Peru

Um templo de 4.000 anos e tumbas de 14 antigos peruanos foram escavados em uma escavação arqueológica em andamento na área de Lambayeque. O templo pertence à misteriosa civilização Moche, enquanto os túmulos estão associados à cultura Sican ou Lambayeque, bem como às civilizações Moche e Chimu, segundo o El Comercio.

Os arqueólogos Edgar Bracamonte Lévano e Walter Alva Alva encontraram as 14 tumbas e valiosos artefatos em Bola de Oro-El Triunfo.

Os itens encontrados em uma tumba de Lambayeque incluem uma peça de ouro que foi usada para remover pelos. “A peça de ouro foi feita com uma representação de Naylamp e a tradicional máscara de olhos alados”, relatou o Peru This Week. “Outros itens incluem cerâmica, pequenos enfeites de cobre, pássaros de prata e cobre dourado e outros itens cerimoniais, como facas. … De particular interesse para Alva foi a descoberta de um fragmento de vasos de cerâmica Moche tardia. Normalmente encontrado em La Libertad, isso indica que a cultura em Bola de Oro-El Triunfo teve contato com a cultura Moche. ”

Os Moche são particularmente conhecidos por sua cerâmica com tema sexual, que costuma ser de natureza muito explícita.

Cerâmica sexualmente explícita da cultura Moche (domínio público)

Naylamp, uma divindade, foi considerada o fundador mítico da cultura Lambayeque no século 8 DC após o colapso da civilização Moche. A cultura sican, como Lambayeque também é conhecida, sucedeu à cultura Moche, com a qual tinham algumas afinidades.

Em 1375 a cultura Chimú conquistou o povo Lambayeque, conhecido por seus habilidosos trabalhos de irrigação.

O Lambayeque também construiu grandes complexos funerários em Batan Grande. Quando os governantes do povo morreram, eles foram enterrados com os objetos de ouro que acumularam em vida.

“Prodigiosos produtores de objetos de arte, máscaras e ourivesaria, os Lambayeque deram uma contribuição significativa para o progresso da arte andina e seu legado inclui algumas das iconografias mais reconhecidas das Américas antigas”, diz o site Ancient History Encyclopedia.

Naylamp, o fundador mítico da cultura Layambeque ou Sican, é mostrado neste navio. ( Wikimedia Commons )

Máscara funerária de Lambayeque dos séculos 9 a 11, encontrada em um túmulo anterior aos achados recentes. (Foto por Rosemania / Wikimedia Commons )

Batán Grande (“bigorna”) no vale de La Leche é um dos sítios sicanos mais importantes. O povo construiu um sistema de canais para irrigação e 17 enormes túmulos piramidais. O cemitério Huaca Corte cobre 250 metros quadrados (2.690 pés quadrados). Os montes continham múmias, vítimas de sacrifícios e valiosos bens tumulares feitos de ouro, prata e ligas de cobre. Centenas de taças de ouro com figuras em relevo foram encontradas.

Mudanças climáticas, enchentes e secas obrigaram a população a abandonar Batán Grande por volta de 1100. Os prédios mostram sinais de incêndio criminoso, afirma a Ancient History Encyclopedia.

Eles então foram para Túcume para estabelecer uma capital religiosa, que se tornou o maior centro cerimonial nos Andes pré-históricos com 370 hectares (1,43 milhas quadradas). O Vale do Túcume é um dos sítios arqueológicos mais importantes do Peru. É perto da cidade de Chiclayo e possui 26 pirâmides cobrindo uma área de cerca de 220 hectares (0,85 milhas) das culturas Lambayeque, Chimú e Inca. As pessoas construíram ativamente em Túcume do século 11 ao 15 DC.


O vale de Túcume, um dos sítios arqueológicos mais importantes do Peru. (Foto de David Baggins / Wikimedia Commons )

Lambayeque metal foi produzido em Cerro Huaringa. Lá foram encontradas oficinas e fornos de fundição. Os arqueólogos encontraram lingotes de cobre em forma de I que podem ter sido usados ​​como moeda entre 900 e 1100 DC. O uso de moeda era raro nas Américas.

Os estudiosos não acham que os governantes de Lambayeque tentaram uma conquista regional. O império Chimú os derrotou e assimilou a partir de 1375 DC. Os artesãos foram obrigados a se mudar para Chan Chan, capital dos Chimú. Isso propagou uma continuidade na arte andina.


História do Moche

O Moche cresceu aproximadamente entre 100-800 CE. Durante seu reinado de vários séculos, eles deixaram uma marca na história do Peru. Embora não haja nenhum registro escrito da civilização Moche, os cientistas determinaram muito sobre essa cultura por meio de seus artefatos e pesquisas arqueológicas.

Os historiadores geralmente dividem a história do Moche em três períodos:

  • o subir desta civilização durou de aproximadamente 150-300 CE. Durante este período, os Moche conquistaram os vizinhos com força militar e ideológica. O Senhor de Sipán, múmia descoberta na Huaca Rajada, foi uma figura importante nos últimos anos desse período.
  • o expansão do Moche durou de aproximadamente 300-600 CE. Este foi o auge de seu sucesso em todas as facetas: militar, cultural e economicamente.
  • O período de declínio começou por volta do ano 600 CE. Não houve uma única causa para o colapso da civilização Moche, mas sim uma combinação de eventos. Mudanças ambientais devastadoras, possivelmente devido ao fenômeno El Niño, combinadas com invasões estrangeiras e conflitos sociais internos, acabaram levando à queda do Moche.

Murais intrincadamente esculpidos e pintados no templo Huaca de la Luna. Imagem: 10.6 Trujillo-1 por Esmee Winnubst, usado sob CC BY 2.0 / Brilho ajustado e compactado do original

Embora existam muitos sítios arqueológicos na região, lembre-se de que nem todos são da cultura Moche. Por exemplo, Chan Chan foi construído pelo Chimu (1100 & # 8211 1470 CE) e Tucume pelo Sican (700-1375 CE).

Aprenda mais sobre os Moche e outras civilizações pré-incas do Peru.

Passeios no Peru:


Tico Tico: Cultura dos Andes do Norte

Norte do Peru: felicidade para os entusiastas da história e da arqueologia. Descubra os vestígios de civilizações pré-incas fabulosamente ricas. Inclui a cidade pré-inca de adobe em Chan Chan, a colonial Cajamarca e o templo no topo da montanha em Kuelap.

  • Lima: passeio a pé
  • Trujillo: Chan Chan e Huacas del Sol y de la luna
  • Cajamarca: passeio a pé
  • Leymebamba: museu
  • Leymebamba: tumbas de Revash
  • Chachapoyas: cidadela de Kuelap
  • Chachapoyas: sarcófagos em Karajía
  • Chachapoyas: Gocta Falls
  • Chiclayo: Senhor de Sipán e Túcume

Neste roteiro de aventuras, você será recompensado por paisagens mágicas, tesouros arqueológicos e encontros com pessoas acolhedoras que lhe darão uma visão da vida na região. Os destaques remotos do norte do Peru atraem menos visitantes do que o sul e, como tal, há um nível inferior de infraestrutura turística e algumas longas viagens rodoviárias, mas cada dia oferece uma visão fascinante da rica história cultural do país.

O gosto pela aventura e pela descoberta é imprescindível, esta é uma viagem pela autêntica América do Sul que se manteve inalterada por décadas.


Culturas antigas do norte do Peru: Cajamarca, Leymebamba, Trujillo e Lima - 15 dias

Miraflores, Lima

Bem-vindo ao Peru! Esta emocionante aventura começa assim que você pousa na capital Lima, onde um representante irá buscá-lo e transferi-lo para seu hotel.

Após o descanso, você terá o resto do dia livre para explorar Lima por conta própria. Você vai ficar em Miraflores, O bairro mais chique de Lima, onde você terá belas vistas do litoral.

Dia 2: City Tour Lima

Edifício Municipal de Lima

Passe o dia em um grande tour por Lima. Você começará no centro histórico, onde a "Cidade dos Reis" foi fundada em 1535 por Francisco Pizarro. Então, você irá para o Plaza Mayor, e as Convento de São Francisco e suas catacumbas.

À tarde, você visitará o Museu Larco Herrera, um dos melhores museus de Lima. Lá dentro, você verá uma grande coleção de cerâmica e tecidos feitos pela civilização Moche, bem como pelas civilizações Paracas e Nazca.

Você terá a noite para desfrutar de Lima à vontade. Você pode comprar coquetéis com vista para a costa em Miraflores ou mimar seu paladar com alguns pratos locais requintados.

Dia 3: Lima dia livre

La Ermita, a catedral mais importante de Barranco

Aproveite um dia livre em Lima para explorar mais a cidade.

Recomendamos sair um pouco do caminho para o bairro boêmio de Barranco, que é notória por sua arte de rua e pequenos restaurantes familiares que nunca deixam de entregar o sabor.

Você também pode dar um passeio ao longo do Malecón, o passeio à beira-mar que começa em Miraflores e continua ao longo da costa. Você vai passar pelo Parque del Amor, ou "Love Park" e desfrute de algumas vistas deslumbrantes. Você pode até assistir a um belo pôr do sol.

Dia 4: Transfer para Cajamarca

Túmulos pré-incas em Ventanillas de Otuzco

Esta manhã, você vai pegar a estrada com Cumbemayo como seu destino. No caminho, você vai parar no Miradouro Bellavista e o templo pré-inca de Layson, onde você verá um santuário e uma pedra sacrificial.

Você então continuará para o Floresta de Pedra, uma coleção de rochas pontiagudas projetando-se da encosta da montanha como árvores. Depois de ver este maravilhoso local natural, você irá para o Canal de Cumbemayo, a obra hidráulica pré-inca mais importante da região.

À tarde, você viajará para o Ventanillas de Otuzco, um dos cemitérios pré-incas mais conhecidos do Peru. Esculpido na encosta das montanhas como ventanillas (janelinhas), essas sepulturas pertencem à cultura cajamarca e são consideradas um tesouro arqueológico.

Após o passeio, você irá para Cajamarca para descansar durante a noite.

Dia 5: Transferência para Leymebamba

A estrada para Leymebamba

Fique animado para entrar no incrível Amazonas região! Na estrada, você passará pelo surpreendente Vale de Marañon, com seu rio homônimo e fileiras aparentemente intermináveis ​​de cadeias de montanhas exuberantes. Você fará uma parada em um restaurante local à beira da estrada para almoçar e terá o verdadeiro sabor da culinária regional. Então, você descerá ao vale do Rio Atuen, finalmente alcançando Leymebamba.

Depois de um longo dia na estrada, você pode esticar os pés caminhando pela cidade e contemplando a vista da montanha. Você também pode descansar em sua acomodação.

Opcional: Oficina de Artesanato de Madeira
Visite Miguel Huaman, um artista local de madeira que faz todas as réplicas para o Museu Leymebamba. Ele aprendeu sozinho tudo sobre a escultura tradicional em madeira Chachapoyas e adora compartilhar esse conhecimento com os visitantes. Depois de uma lição sobre técnicas e seu significado, você poderá colocar seus novos conhecimentos à prova e pintar seu próprio sarcófago - uma tradição importante para a cultura Chachapoyas.

Dia 6: Museu da Múmia e Mausoléu de Revash

O Mausoléu de Revash

Após o café da manhã, você embarcará em um dia de exploração arqueológica. Primeiro, você irá para o Museu da Múmia, que possui 219 múmias, bem como artefatos da cultura Chachapoyas, incluindo tecidos, cerâmica, esculturas em madeira e quipus incas.

Então, você dirigirá para San Bartolo, de onde você fará uma caminhada de 45 minutos até o Mausoléu de Revash—Uma construção funerária de Chachapoya. Os túmulos estão situados em um penhasco de montanha e parecem casas com telhados de um a três níveis. Muitos dos túmulos são decorados com símbolos como a cruz andina.

Você irá então continuar a Nogalcucho para passar a noite em casa de família com uma família local em uma área de conservação privada. Desfrute de um delicioso jantar com seus anfitriões antes de voltar para descansar.

Dia 7: Tour pela Cidadela de Kuelap

Ruínas da Cidadela de Kuelap

Deixe Leymebamba no início da manhã e dirija por cerca de uma hora para El Tingo distrito. A partir daqui, você pegará o teleférico até La Malca, a porta de entrada para a cidadela fortificada de Kuelap.

Construída no século 5 dC, as ruínas desta cidadela compreendem mais de 500 edifícios circulares, incluindo os famosos Templo Principal. Os edifícios são decorados com frisos, diamantes e seres estilizados que representam as principais divindades. Você passará cerca de 3 horas em uma visita guiada a este sítio arqueológico, aprendendo sobre as pessoas que o habitavam.

Após o passeio, você irá parar em um restaurante local para almoçar e, em seguida, seguirá para Chachapoyas, onde você vai descansar durante a noite.

Dia 8: Sarcófagos de Karajia Tour

Sarcófagos de Karajia, Chachapoyas

Parta em um passeio de manhã cedo pelo Vale Utcubamba para Cruz Pata.

Uma vez aqui, você caminhará cerca de um quilômetro até o Sarcófago de Karajia, as estátuas funerárias da cultura Chachapoya. Os sarcófagos têm aproximadamente 2,5 metros de altura, formas humanas e são decorados com crânios, figuras e cores. Apenas as figuras de extrema importância estão enterradas nessas tumbas, então seu significado não pode ser exagerado. Seu guia contará um pouco da história e explicará mais sobre os rituais praticados neste cemitério.

Após o passeio, você voltará a Chachapoya para uma noite de lazer.

Dia 9: Transferência para Chiclayo

Estátuas representando a chegada dos Incas em Yortuque Walk, Chiclayo

É hora de deixar a bela região do Amazonas e embarcar em uma viagem de 7 horas até a costa norte do Peru mais precisamente, para Chiclayo.

Chiclayo é a porta de entrada para vários sítios arqueológicos importantes, mas continua a ser um tanto negligenciada pelos visitantes internacionais. Esta noite, você poderá caminhar pela cidade. Recomendamos visitar o Plaza de Armas, Catedral de Santa Maria, e as Mercado Modelo. Neste último, você pode experimentar diferentes pratos locais e comprar produtos frescos.

Dia 10: Tour de Huaca Rajada, Tucume e Tumbas Reales

As Pirâmides de Tucume

Prepare-se para um dia inteiro de excursões arqueológicas. Você começará com uma visita ao famoso Huaca Rajada, onde o túmulo do Senhor de Sipan foi encontrado. Embora o túmulo e muitos dos artefatos escavados aqui tenham sido levados para outro museu (que você também verá), o local ainda é incrivelmente interessante.

Você então continuará para o Complexo Arqueológico das Pirâmides de Tucume, um vale que abriga 26 pirâmides de adobe da cultura Lambayeque. Você também visitará o museu no local e escalará o mirante no topo do Cerro Purgatorio para desfrutar de uma bela vista do vale e das pirâmides.

A próxima parada é o Museu Tumbas Reales. É aqui que você encontrará os restos mortais do Senhor de Sipan, além de mais de 2.000 peças e joias em ouro, prata, cobre, penas e diversos tecidos. Muitas das relíquias encontradas em Huaca Rajada foram trazidas aqui para serem apreciadas pelo público.

Após o passeio, você voltará a Chiclayo para passar a noite.

Dia 11: Sítio Arqueológico El Brujo e excursão pela cidade de Trujillo

Plaza de Armas, Trujillo

Hoje você sairá de Chiclayo e seguirá na direção de Trujillo.

No caminho, você vai parar em Complexo Arqueológico El Brujo e a Museu da Senhora de Cao. Este é um dos sítios arqueológicos mais valiosos da costa norte do Peru. Foi ocupada pela primeira vez no Período Pré-Cerâmico por volta de 3000 AC, e também foi habitada pelo povo Mochica de 0-700 DC.

Existem duas descobertas principais neste complexo. O primeiro é uma grande pirâmide de adobe que tem 98 pés (30m) e tem representações da cultura Mochica em alto relevo. A pirâmide inclui imagens cativantes como "o decapitador". A segunda é a Senhora de Cao, também conhecida como a "Senhora das Tatuagens". Descoberto em 2006, seu túmulo continha cerâmica e ornamentos de ouro, prata e cobre. É a primeira múmia encontrada de uma antiga peruana que foi enterrada com as vestes da aristocracia guerreira.

Depois de explorar este complexo fascinante, você continuará para Trujillo. Assim que chegar, você começará um tour pela cidade, passando pelo Plaza de Armas, o lindo amarelo Catedral de Trujillo, a Palácio Iturreguie outros marcos importantes.

Dia 12: Templos do sol e da lua e ruínas da cidade de Chan Chan

Detalhe das ruínas da cidade de Chan-Chan

O dia começa com uma visita ao Templos do Sol e da Lua em Trujillo. O complexo é um santuário Moche e já foi a capital desta civilização. O Templo do Sol é uma pirâmide em camadas usada para fins administrativos. O Templo da Lua é destacado por seus grandes murais policromados, que muitas vezes retratam motivos religiosos e iconografia relacionados a divindades importantes. Evidências de sacrifícios humanos foram encontradas aqui, consolidando ainda mais a importância do local como um centro religioso.

Após uma visita guiada completa ao complexo, você almoçará em um restaurante local em Huanchaco. Enquanto saboreia sua refeição, você terá uma vista da praia com o famoso caballitos de totorra, embarcações artesanais tradicionais utilizadas pelos pescadores peruanos há cerca de 3000 anos!

À tarde, você irá ao complexo arqueológico de Chan Chan, um Patrimônio Mundial da UNESCO. O complexo foi a capital do Império Chimu, que floresceu na região após a queda dos Moches. As ruínas estão surpreendentemente bem preservadas, e você ainda pode ver os detalhes finos que decoravam as paredes de adobe da cidade antiga.

Dia 13: Sítio Arqueológico de Sechin Tour

Esculturas em pedra em Sechin

Você partirá pela manhã para o sítio arqueológico de Sechin. Este templo de pedra foi construído por volta de 1600 aC. Sua fachada é decorada com figuras em baixo-relevo e mais de 300 esculturas em pedra representando corpos decepados, guerreiros e vigílias. As paredes do complexo são consideradas as mais antigas esculturas monumentais do centro dos Andes.

Você então irá para o próximo Museu Max Uhle, onde você verá uma múmia com mãos tatuadas, um modelo em relevo do Pampa Colorada local e cerâmicas e têxteis de diferentes culturas.

Passe a noite nas proximidades Casma.

Dia 14: Excursão pela Cidade Sagrada de Caral

A cidade sagrada de Caral

Em seu último dia inteiro no Peru, você irá dirigir para o Cidade Sagrada de Caral. Este Patrimônio Mundial da UNESCO tem cerca de 5.000 anos, datando do Período Arcaico Tardio dos Andes Centrais. Por essas estimativas, é considerado o centro de civilização mais antigo em todas as Américas, mais antigo ainda do que as pirâmides egípcias!

Você verá os prédios em pirâmide da cidade, a praça circular submersa, os locais de grandes reuniões públicas, um grande complexo residencial, unidades domésticas e depósitos de oficiais. Seu guia o levará por um local bem preservado, explicando o que se sabe sobre a vida em Caral, que em um ponto era o lar de cerca de 3.000 pessoas.

Após o passeio, você terá tempo livre para comemorar sua última noite no Peru.

Dia 15: Partida de Lima

A costa de Lima

Volte para Lima pela manhã para pegar seu vôo de ida. Esperamos que você tenha gostado do seu tempo no mágico norte do Peru!


História e cultura do Peru - 14 dias

Plaza Mayor de Lima

¡Bienvenidos! Bem-vindo a Lima, a maior cidade e centro metropolitano do Peru, onde vive um terço da população do país. Localizado no local de um assentamento indígena pré-colombiano Ychsma, que foi conquistado pelo império Inca no século 15 e mais tarde pelos espanhóis conquistadores, Lima tem uma história fascinante e uma mistura diversificada de culturas. As influências ameríndias, europeias, afro-peruanas e asiáticas - especialmente chinesas e japonesas - tornam Lima uma cidade dinâmica e emocionante para explorar.

A localização arejada de Lima no Oceano Pacífico e o clima ameno do deserto a tornam a cidade perfeita para explorar a pé. Vá para o centro da cidade para se misturar com os habitantes locais, esticar as pernas e comer algo em um dos muitos restaurantes premiados.

As atividades sugeridas incluem:

  • Explore o centro históricode lima , um Patrimônio Mundial da UNESCO repleto de fascinante arquitetura espanhola. Comece com um passeio panorâmico pelo centro colonial, que emana da praça principal. Passeie até a catedral do século 16, que levou 80 anos para ser construída e foi construída no estilo grandioso do Império Espanhol.
  • Visite a Casa Aliaga, casarão colonial cedido pelo conquistador-chefe Francisco Pizarro a Jerónimo de Aliaga, um de seus capitães, em 1535. É a única casa daquela época que ainda pertence à mesma família.
  • Passeie pelo distrito de Pueblo Libre ao Museu Larco de arte pré-colombiana de propriedade privada, instalado em uma mansão do vice-reinado lindamente restaurada, construída sobre uma pirâmide pré-colombiana do século 7. O museu possui uma vasta coleção pré-colonial de artefatos de ouro e prata.
  • À noite, vá para o eclético "Love Park" no sofisticado distrito costeiro de Miraflores, onde você pode admirar uma enorme estátua do beijo e belas paredes de mosaico. O parque foi construído nas falésias de Chorrillos e é um lugar perfeito para desfrutar de um pôr do sol espetacular sobre o Pacífico.
  • Desfrute de uma bebida antes de dormir em um café ou restaurante ao ar livre no bairro diversificado de Miraflores.

Dia 2: Chegada a Trujillo e Templo da Lua

Templo da lua

Após o café da manhã, traslado ao aeroporto de Lima para embarcar em seu vôo com destino a Trujillo. Na chegada, traslado ao hotel. Depois de se instalar, prepare-se para ver o Templo da lua, uma pirâmide de lama pré-hispânica, sagrada para a civilização Moche que floresceu nesta área de 100-750 d.C. Pintados murais coloridos requintados decoram as paredes do Templo da Lua, que foi construído e reconstruído várias vezes. Você notará o símbolo religioso do Ai-Apaec, ou "O Deus das Montanhas", aparecendo muitas vezes nas paredes do templo.

Apesar da prevalência de ruínas arqueológicas, a cultura Mochica não está morta. Depois de visitar os templos e o museu, continue até uma loja de cerâmica e artesanato para ver e aprender sobre os métodos tradicionais de artesanato que foram preservados pelo povo Mochica ao longo dos séculos.

Dia 3: Chan Chan, Huaca Arco Iris e Huanchaco

Murais de relevo em Chan Chan

Saia pela manhã para um dia inteiro de passeios turísticos perto de Trujillo. Sua primeira parada é o Huanco Arco Iris, ou Templo do Arco-íris, assim chamado devido aos misteriosos e coloridos altos relevos encontrados em suas paredes. A partir daqui, continue até a maior cidadela de tijolos de barro do mundo: o Chan Chan fortaleza. Esta cidade já foi o lar de 100.000 pessoas da cultura Chimu, com grandes edifícios, salas de palácio real e extensas oficinas para abrigar os artesãos da cidade.

Continua a Huanchaco, uma tradicional cidade de praia de pescadores famosa por seus totora barcos de junco, conhecidos localmente como "Caballitos de Totora". Esses barcos, feitos de junco grosso e flutuante de totora, são usados ​​para pesca e surfe há séculos. Desfrute do almoço na cidade litorânea e retorne a Trujillo à tarde. Se houver tempo, faça um desvio para explorar o pequeno centro histórico da cidade de Trujillo antes de retornar ao hotel para a noite.

Dia 4: El Brujo e viagem para Tucume

Visitantes explorando o templo

De manhã, saia para as pirâmides de Tucume, na região próxima de Lambayeque. Ao longo do caminho, pare no sítio arqueológico de Huaca El Brujo. Acredita-se que tenha sido habitado por humanos por aproximadamente 5.000 anos, o local está principalmente associado à cultura Moche (100-700 dC). Esta pirâmide de adobe de 30 metros de altura é famosa pela descoberta do túmulo da Senhora de Cao, também conhecida como Senhora das Tatuagens. Seu túmulo foi a primeira múmia peruana feminina a ser descoberta vestida como guerreira e enterrada de maneira semelhante aos guerreiros aristocráticos masculinos, e sua descoberta mudou a percepção das mulheres nas sociedades pré-hispânicas.

Pare para almoçar na cidade litorânea de Pacasmayo e depois continue para seu hotel na tranquila vila de Tucume, no interior de Lambayeque.

Dia 5: Pirâmides de Tucume e Museu Tumbas Reales

O Museu das Tumbas Reais

Comece o dia com uma visita ao museu e as pirâmides do Túcume Complexo Arqueológico, local da última capital dos reinos pré-incas de Lambayeque e Chimú. Ocupando 220 acres, este complexo é um dos principais monumentos de conquista pré-hispânica no norte e contém características arquitetônicas fascinantes, como pátios e canais. Os arqueólogos acreditam que a nobreza de Túcume vivia no luxo - em enormes palácios decorados com desenhos e joias requintadas, cercada por uma multidão de atendentes, incluindo administradores, padres, servos e artesãos talentosos.

Após o almoço, vá para o Museu Tumbas Reales, ou Museu das Tumbas Reais, em Lambayeque, localizado nos arredores de Chiclayo. Este museu contém uma grande quantidade de tesouros arqueológicos enterrados com o Senhor pré-inca de Sipan. Em 1987, quando o túmulo do Senhor de Sipã foi descoberto, ele foi comparado em opulência e detalhes ao túmulo de Tutancâmon no Egito.

Dia 6: Indo para Cocachimba, Chachapoyas

Paisagens áridas ao redor de Tucume

Hoje é dia de viagem. Head inland to the charming village of Cocachimba, a 7-hour scenic drive through a constantly changing landscape. You'll travel from the arid deserts of the coast to Andean peaks and through cloud forests on the same day, with plenty of opportunities to stop and stretch your legs. Arrive at your hotel in Cocachimba or Lamud (depending on lodging choices) in the afternoon and spend the rest of the day relaxing and enjoying views of the Gotca waterfall.

Day 7: Hike to Gocta Waterfall

Spectacular Gotca waterfall

After a hearty breakfast, hit the trail for a 2-3 hour hike to the famous Gotca waterfall. The hike is approximately 3.7 miles (6km) and crosses sugarcane fields and small country roads before leading you through the misty cloud forest. This ecosystem is home to many unique wildlife species, most notably the bright orange cock-of-the-rock—Peru's national bird. After a beautiful hike, enjoy a well-earned rest by the waterfall. Brave visitors may even take a dip in the pool at the base of the waterfall, but be warned—it's cold!

In the afternoon, hike back to your lodge in Cocachimba for an afternoon of rest.

Day 8: Cablecar to Kuelap Fortress

A reconstructed building at Kuelap

Get an early start today for your hour-long drive to the town of Tingo. Here you'll board a cable car to get to the spectacular ruins of the Kuelap fortress, an ancient citadel of the Chachapoyas people which pre-dates the Inca empire by half a millennium. At the top, it's a 25-minute hike to the site.

The entire complex is surrounded by 65 ft (19.8 m) walls, which served as protection against invasions. This site was inhabited until the conquest by the Inca in 1470 and later the Spanish in 1534. The ruins sit majestically above a mountain ridge at 9,500 ft (2,895 m), and its towering walls and round stone houses have earned it the nickname "Machu Picchu of the North". From here, you can enjoy stunning views of the valley and the chance to spot local wildlife. The guided visit will last approximately 2 hours, after which you will head back down the mountain and return to your hotel for the afternoon.

Day 9: Cocachimba - Lima

Evening in Miraflores

In the morning, to the Jaen Airport, located 4 hours away, for your return flight to Lima. After landing, transfer to your hotel in the chic neighborhood of Miraflores.

Spend the evening relaxing, catching up on souvenir purchases, or going out for dinner and drinks at one of Lima's many restaurants and cafes.

Day 10: Arrival in Cusco, Inca Ruins Tour

Cusco from the Sacsayhuamán ruins

Head to the Lima airport for your transfer flight to Cusco. After settling in, head out for your day tour of the former capital of the Inca empire, which reigned from the 13th to 16th centuries after conquering the Killke settlement on the same location.

Remember: you will be 11,000 feet (3,000 m) above sea level, so take it easy and remember to drink lots of water. Since Cusco was designed by the Incas as a city for walking, start your exploration of the narrow stone alleyways on foot. Take a walk through the plaza — if the weather is beautiful, it's a perfect place to sit on a balcony and have a cup of coca tea while adjusting to the elevation.

Suggested activities include:

  • Visit the Coricancha, also known as "The Temple of the Sun." The temple was built by the Incan Emperor Pachacutec (1438 - 1572), and after the arrival of the Spaniards became the basis for the construction of the Santo Domingo Convent.
  • Walk to Sacsayhuamán and next-door Quenqo, both archaeological complexes used mostly for religious and agricultural rituals, located 2.5 miles (4 km) from the city of Cusco. Built by the Killke people, Sacsayhuamán is a marvel of ancient architecture, a monolithic fortress built from giant blocks of stone, the origins and assembly of which remain a mystery.
  • Discover the elaborate Puca Pucara ruins—an architectural complex of alleged military use with multiple plazas, baths, aqueducts, walls, and towers. It is believed that the entourage of the Incan emperor used it while he stayed at Tambomachay, the elaborate estate and baths nearby.
  • Eat lunch at a local Peruvian restaurant and sample local flavors and cooking techniques—crackling pork, pickled vegetables, seasonal flavors, bread baked in earthen ovens, roasted vegetables, and sweet donuts make for a delicious and filling meal.

Day 11: Tour the Sacred Valley: Cusco - Pisac - Ollantaytambo

Shopping in the market in Pisac.

We'll leave our hotel in Cusco around 8:30 am for our drive into the Sacred Valley en route to Pisac, a village known for its traditional market and immense Inca fortress. During our visit, we will have plenty of opportunities to stop for photos as we pass terraces, irrigation canals, and picturesque mountain views.

In the afternoon, we will depart for the town of Ollantaytambo, which contains some of the best-preserved Inca architecture in the entire Sacred Valley. Roam the winding alleys and vast plazas and gaze upon a marvelous llama-shaped ruin before heading to a local hotel for the night.

Day 12: Maras & Moray Tour & Train to Aguas Calientes

Agricultural terraces of Moray

This morning, you'll depart from your hotel in Ollantaytambo for your journey to Moray. Along the way, you will see the snow-capped peaks of the Andes, lush yellow fields of wheat, and some villages. Upon arrival in Moray, you'll see the three famous amphitheater-like terraces made by the Incas. These terraces are carved deep into the earth in the shape of a bowl. It is believed that the Incas once used these terraces as agricultural laboratories to determine the optimal conditions for growing crops.

When you are done exploring Moray, you will head about two miles away, to the salt mines of Maras (Salineras de Maras). This village is known as a former salt-producing center and is thought to date back to pre-Incan times. There are over 3,000 salt pools carved into the mountainside, that are filled daily by a stream of water.

Once you are done with the visit, you will head back to Ollantaytambo in time to catch your train to Aguas Calientes (Machu Picchu town).

Day 13: Machu Picchu Excursion: Aguas Calientes - Machu Picchu - Cusco

Explore the ruins at Machu Picchu

Get an early start to beat the crowds and get the best views of the ancient ruins. From Aguas Calientes, it's an easy 25-minute bus ride up to the Machu Picchu ruins.

This 15th-century Inca citadel is located at 7,970ft (2,430 m) and is a masterpiece of engineering that served as a sanctuary and retreat for the Incan Emperor Pachacutec and his royal court. Machu Picchu, which means "Old Mountain," is considered a World Heritage Site by UNESCO and is one of the new Seven Wonders of the World.

Built as a seasonal residence for the Inca family, Machu Picchu was rarely home to more than 800 people, and during the royals' absence, a mere 100 servants would remain at the site to maintain the grounds. Machu Picchu was abandoned 100 years after construction due to the Spanish conquest and remained largely hidden to the outside world until the early 20th century.

Your guide will lead you around the site and explain the different buildings and curious corners of the building complex. Approximately one-third of the site has been reconstructed into its original structure, giving visitors a sense for the grandeur and artistry of the original citadel.

After the tour, take the bus back to Aguas Calientes for lunch and then board the train to Ollantaytambo. Upon arrival in Ollantaytambo, meet your driver for your transfer back to Cusco.

Day 14: Fly from Cusco to Lima, Depart Peru

A pretty street view in Lima

Today is your last day in Peru! You will be met at your hotel for a transfer to the Cusco Airport, where you will catch your flight back to Lima and then transfer to your international departure. Alternatively, stay and extend your time in Peru — there's so much to see and explore. ¡Buen viaje!


Tucume Pyramids

We stopped at this site as a part of our Moche Route by GreenTracks. We didn't spend much time mostly walked around and got some interesting perspectives of the ruins. I was continually amazed by the work done by these people and so happy for the investment being put in to maintaining it.

The small museum has very fine pieces collected. This walk through does not take a lot of time but a vital part of the Moche Peoples.

We did this as the last stop on a full day tour no wish we had been here maybe two hours earlier as we arrived not long before closing.

If you can try no have a couple of hours here (not including the museum) as you can actually walk into the site and go into the scared mountain. Unfortunately we only got to go to the first viewing platform.

The site is gigantic and forms one end of the valley of the pyramids (Batan Grande is the other end). There are still some signs of the Inca all that was built in the final yer before the Spanish.

Well worth making time for.

The pyramids are included in the day tours but you can do them yourself as most of the tours only have Spanish speaking guides or you'll pay double for a English speaking guide.

Cost of entry is 8 Soles each for either the A circuit or the B circuit, or 12 Soles each for both. Just get the A circuit, as B is not worth it.

At the site there is a small 3 room museum. It OK and only takes 20 minutes or so to go through. After that head off to the viewing mound for photos of one of the pyramids. Some stop there but the path at the base of the viewing mound continues on. It's a 10 to 15 minute walk to the base of one of the pyramids and then a reasonably steep climb to 3 lookout points on the pyramid. It's worth it but it's steep and a small section is unpaved and Rocky. Views of the other pyramids are very good though.

To get there yourself catch a colectivo to Lambeyeque from Av Pedro Ruiz in Chiclayo. It costs 2 Soles each. They stop at the street leading to the Museo Tumbas Reales de Sipan, which is well worth a visit. Anyway from here you catch another colectivo to Tucame for 2 Soles each. If yotask the colectivo tout they will point out the street for the pyramids or use MapsMe. It's a relatively easy 2km walk to the pyramids or a 3 Soles mototaxi ride. Just do the reverse on the way back.

The 3 saloon museum is a bit fun but the open air site was very disappointing. It's not the pyramides/huacas that are disappointing but the administration and running of the place surprised me a lot. Yes, you can't actually see the huacas, they were made with earthen bricks and after hundret years there are just muddy looking hills, but this is normal. They charge 8 soles for route A or B, its 12 soles if you do it both. I paid 12. The only highlight of route B is the Huaca Las Balsas the only Huaca you can see closely as far as I understand.. Well, on the way I saw many pigs, cows, hens, homes in very bad condition and there were laudry haning on the ropes so I reckon some people leave there. I was thinking if I was on the wrong path. There were no signs. There were some boards but they were so faded, you can not read them. Well, at last I got to the Las Balsas. You have to use your imagination hard to see what it looked like. There were dog (or other animal) dungs all over the ruins. On the way to this huayaca here were boards which have quotes from famous science people saying how important is Tucume Ruins. Well, that important.
Anyway, if you go there dont buy ticket for Route B. Also there is no one asking ticket, there was literally no one on route B.

To get to ruins, you have to take a collectivo from Transportes Chiclayo. There are direct combis to Tucume. When you re in the center, take a mototaxi to museum, do not walk. Its 3 soles. I paid 4 when going there, 3 to return.

I advie to visit Museo Tumbas Reales Sipan on the way. Way more better as a museum, very impressive.


Tico Tico: Culture of the Northern Andes

Northern Peru: bliss for history and archaeology enthusiasts. Discover the vestiges of fabulously wealthy pre-Inca civilisations. Includes the pre-Inca adobe city at Chan Chan, colonial Cajamarca and the mountain-top temple at Kuelap.

  • Lima: walking tour
  • Trujillo: Chan Chan and Huacas del Sol y de la luna
  • Cajamarca: walking tour
  • Leymebamba: museum
  • Leymebamba: tombs of Revash
  • Chachapoyas: citadel of Kuelap
  • Chachapoyas: sarcophagi at Karajía
  • Chachapoyas: Gocta Falls
  • Chiclayo: Lord of Sipán and Túcume

On this adventurous itinerary you will be rewarded by magical landscapes, archaeological treasures, and encounters with welcoming people who will give you an insight into life in the region. The remote highlights of the north of Peru attract fewer visitors than the south, and as such there is a lower level of tourist infrastructure and some long road journeys, but each day offers a fascinating insight into the country&rsquos rich cultural history.

A taste for adventure and discovery is a must this is a trip through the authentic South America which has remained unchanged for decades.


Pyramids & Museums of Chiclayo

This tour includes visits to the ancient archeological site of Sipán, the Tumbas Reales Museum, and the pyramids of Túcume. As such, it provides travelers with an unparalleled look at both the Moche and Sicán cultures.

At the site of Sipán you’ll explore both Huaca Rajada and the Tumbas Reales Museum. Huaca Rajada is the original site where the tomb of the Lord of Sipán was discovered. These days, the tombs have replicas of what was initially found when archeologist Walter Alva excavated them in 1987. There are also two pyramids here made up of an adobe mixture—these days, they kind of look like big dirt mountains. You can climb to the top of the largest pyramid and get excellent views of the surrounding area.

The Tumbas Reales Museum is simply extraordinary. The museum, which is shaped like a Moche pyramid, contains all sorts of archeological artifacts that were discovered at Huaca Rajada, including jewelry, gold masks, and more. As you explore its exhibits you’ll learn about the religious beliefs and social structures of pre-Inca cultures. The most impressive part of this museum is the tomb of the Lord of Sipán, where you’ll find the remains of this king-god. The tombs of other dignitaries are also recreated.

This tour also visits the Sicán site of Túcume. This site is made up of some 26 adobe pyramids that are surrounded by desert and dry forest. It’s fascinating to walk around the pyramids, some of which are massive. Archeologists believe that the pyramids were built in phases and were likely inhabited by rulers and priests. One of the most notable pyramids is Huaca Larga. Your tour will also visit a small onsite museum at Túcume.

The outward appearance of Huaca Rajada is deceptive: these mud mountains (really adobe pyramids) may be less than striking at first glance, but are home to one of the most valuable tombs in Peru’s history. It’s recommended that those exploring this famous catacomb continue with a stop at the Tumbas Reales de Sipán museum in Chiclayo, for a comprehensive overview of this amazing find in the Lambayeque Valley.

Known as “Purgatorio” (purgatory) by the local people, the Túcume site is one of the biggest pyramid complexes in Peru. These mountains of dripping mud used to be home to local shaman healers and a place of pilgrimage for the Lambayeque, Chimú, and Inca cultures.

Many of our tours and activities offer transportation pick up & drop off options from several locations and destinations. Options vary by tour, see “More Time and Rates” for full details.

This full day tour includes visits to the archeological site of Sipán, including the Tumbas Reales Museum and Huaca Rajada, as well as a stop at the Bruning Museum. It’s a tour packed with culture and history.

This private transfer from Chiclayo to Trujillo includes a stop at the El Brujo Complex, an ancient monument from the Moche culture. As such, this is a great way to get from one place to another and also see a fascinating Peruvian ruin.

This tour includes visits to the Sicán archeological site at Bosque de Pomac and the Sicán Museum. During the course of the day travelers will learn a great deal about Sicán culture.

More Tours

Vacation days are hard to come by. We help make every single one count by tailoring experiences that are fun-filled, worry-free, and unforgettable. Expect more from your vacation.

• Itineraries • Company • Blog • Animals • Facebook • Instagram • Youtube • Trustpilot


Pre-Inca Ruins in Peru

Royal Tombs of Sipán (100 AD – 700 AD

This is a museum rather than an archaeological site, although there are plenty of sites near the northern city of Chiclayo where the museum is located. The tombs of Sipán and in particular the so-called Lord of Sipán are considered to be the single most important archaeological discovery in Peru in the last 30 years.

The Lord himself was a wealthy member of the Moche civilisation, who was found mummified in raiment of astonishing gold in a huaca (adobe pyramid) near Lambayeque. The Peruvian equivalent of Tutankhamun, we will never know how many other Sipáns were lost to looters.

The Lord aside, the whole museum is utterly exceptional and a cutting edge contrast to the drab city around it. There is also a very good, but somewhat less snazzy, site museum near town. The pyramids of Túcume also make a very pleasant outing, but they have been severely eroded by the elements.

Kuelap (500 AD – 1500 AD)

This is the site we didn’t get to, because it is way up in the mountains of northern Peru. It is an enormous fort or citadel built by the Chachapoyas people on top of a cliff overlooking the valley of the Utcubamba river. What makes Kuelap so fascinating – apart from its sheer size and its dramatic location – is that it was only ‘discovered’ in the 19 th century, and is still little understood. Much of it remains covered by earth or foliage, and there are always new discoveries being made. I will definitely go there sometime soon.

Chan Chan (850 AD – 1470 AD)

With an area of eight square miles, Chan Chan, near the modern day city of Trujillo, is the largest pre-Columbian city in the whole of South America. It was the centre of the Chimú people for some 700 years, and at its peak it was home to 30 000 people. Constructed out of adobe and located on a coastal plain which receives severe flooding as a result of El Niño and is also under constant threat from earthquakes, Chan Chan is definitely not in pristine condition.

Having said that, a tour around its expansive grounds was one of the highlights of our trip: certain sections have been reconstructed to give you an idea of what it was like in its prime the irrigation system was fascinating and the beachside location was dramatic and alluring.

Huaca Pucllana (200 AD – 700 AD)

Also known as Huaca Juliana, this adobe pyramid was built by the Lima people. Although it is not as spectacular as the other sites listed here, I have included it because it is located in downtown Lima and as such is allows people who are not headed to coastal Peru to see a fine example of an adobe pyramid or huaca. This one served as an important administrative and ceremonial centre, and I quite like the fact that it has been reconstructed, so you can see what it would have looked like in its heyday.


Assista o vídeo: UNIDO POR LA HISTORIA LATINOAMRICA DE LOS INCAS Y LOS AZTECAS (Pode 2022).